“O sonho encheu a noite. Extravasou pro meu dia. Encheu minha vida e é dele que eu vou viver. Porque sonho não morre” (Adélia Prado)

11 de nov de 2010

EU NÃO AGUENTO AMIGA LOUKA!


Não há nada melhor do que ter o privilégio de sentar à frente do computador e desabafar. A gente vai escrevendo, escrevendo, sem se preocupar em buscar palavras bonitas para impressionar. Tudo que mais queremos é botar pra fora o que está atravessado na goela e que pode machucar se não vomitarmos.

Como vocês leram no título, vou escrever sobre amiga
louka, assim mesmo com “K”, só pra mostrar que além de louka, é esquisita, afetada, sem noção... Uma pessoa que se não for o caso para internação, pelo menos de um bom psiquiatra precisa, ah, isso precisa!

Se você ainda não tem uma em sua vida, um dia vai ter, isso é tão certo como o sol vai nascer amanhã, pois elas andam por aí, soltas, prontas para abrir aquela boca enorme que abriga uma língua quilométrica e acabar com a tua reputação de boa menina (ou bom menino, pois a espécie ataca homens, também).

São aquelas que tem piti por qualquer motivo, emburra feito criança, entende tudo errado e nos deixa com aquela cara de
“o que foi que eu fiz?”
 

O pior é que isso acontece de uma hora para outra, sem nenhum aviso prévio. Gente louka é assim, muda junto com as fazes da lua, e eu, que me considero uma pessoa normal, não tenho fases, não entendo, fico boiando igual bosta n’água no Rio Tietê.

Gente desse tipo se sente o centro do universo e espera que todos os holofotes estejam voltados para ela. E lá num dia qualquer, você, tão distraída, esquece de elogiar uma roupa, uma atitude, ou qualquer coisa do gênero, e pronto! Você cometeu o crime do século e não merece perdão.

Sinceramente, tenho vontade de mandar catar coquinhos. Eu, hem, que doidera!

Falando francamente, não entendo
o tipo e fico me perguntando se relacionamento é isso, uma rasgação de seda sem fim, ou um infinito explicar tim-tim por tim-tim. 

Afinal, quem ela pensa que é, a Rainha de Sabá?

Fico me perguntando se meus amigos realmente me conhecem o suficiente para saberem que os tenho na mais alta estima e não preciso ficar o tempo todo repetindo isso, pois vai chegar uma hora que não parecerá verdade, e sim, uma “fala” ensaiada, uma obrigação sem nenhum valor.

Eu não "me ligo" em certas datas ou fatos e não gosto de ficar me policiando o tempo todo "n
ão posso esquecer-me de fazer isso ou aquilo, se não, a fulana vai logo concluir que eu não me importo..." Pô, minhas amigas, minha amizade não pode ser medida por uma frase que eu deixei de dizer: Feliz Aniversário, por exemplo... Quero que a minha amizade seja medida pelas palavras certas que eu digo nas horas certas, quando necessarias. É claro que eu desejo que todos os meus amigos tenham dias felizes, e se possível, todos os 365 do ano, e não numa data específica da qual não me sinto na obrigação de lembrar.

Mas, o que se passou realmente, eu nunca vou saber, pois a
louka não fala. Ela conclui que me deixando na ignorância retém o poder só para ela, e me descabelar tentando descobrir faz parte dos seus planos de vingança. Não vou me descabelar, a louka é ela e não eu. hihihi

A minha visão dos fatos é a seguinte: não é de bom tom fazermos julgamentos apressados sobre as atitudes das pessoas – sobretudo, àquelas que chamamos de amigo. Portanto, se não estou agradando e não deseja mais a minha amizade, ótimo, se afaste, mas mande-me pelo menos um sinal de fumaça. Caso contrário, corro o risco de continuar chamando-a de amiga e eu não quero pagar esse mico-leão-dourado.

Não gosto de obrigatoriedade, quero mais é soltar as amarras e tudo o que mais desejo é cercar-me de pessoas livres, adultas e bem resolvidas, e não de crianças mimadas...

Já passou o tempo que eu tinha paciência para lidar com esse tipo de situação. O clima pesado que fica quando há esse tipo de mal entendido é péssimo e me bota pra baixo – justo eu que sou capaz de dar meus dois dentes da frente para manter meu alto astral.

Sabe quando eu vou entrar nesse jogo?... No dia que eu bater com a cabeça!

O mal estar se instala quando a criatura faz questão de deixar claro que somos culpados, embora não diga isso, mas as atitudes dizem. Ficamos sem ação e um enorme ponto de interrogação se interpõe como uma barreira intransponível, desestimulado qualquer tentativa de entendimento.

Nesse caso, há algumas opções: podemos ignorar e fingir que não é conosco - o que a fará parecer mais
louka ainda. Ou entrar logo na toca do lobo com a tal pergunta na ponta da língua “te fiz alguma coisa?”... Quem sabe podemos sacar da bolsa um cartãozinho e perguntar: vai um psiquiatra aí?

16 comentários:

  1. É, Sueli, acho que cheguei nesse seu estágio também. Esquisitice pra mim tem distância (longa). Eu convivo com todos os tipos, agora, amizade para eu manter, tem que ser com gente de bem com a vida, sem sobreposição de carências, sem querer que o mundo gire em torno de seus umbigos. Nesses casos, um psiquiatra, realmente, se torna o melhor amigo. hahahaha! Adorei! Abração. paz e bem.

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkkkk Sueli. Tenho uma LOUKA de pedra como amiga, ciumenta, birrenta, chata demais. Enquanto ela dá seus chiliques eu vou vivendo feliz e retumbante! Quando ela percebe que não perco tempo com infantilidades, volta, se "explica" e volta as boas..rsrs

    Engraçadissima tua narração...kkkkkkkk

    Beijos, amiga.

    ResponderExcluir
  3. Realmente uma pessoal assim tem alguns deisturbios psicologicos...

    Fique com Deus, menina M. Suelle Gallaci.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  4. As únicas pessoas que me agradam são as que estão loukas: loucas por viver, loucas por falar, loucas por salvarem-se .

    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. Kkkkk, mas eu tenho umas ‘loukas’ na minha vida! Amiguinha... Até na família temos! Aliás, é o que mais tem: ‘loucas família’. Mas lhe digo que levei tanta lambada que aprendi a lidar com essa gente. Que vão exercitar suas neuras longe de mim, eu não tenho paciência para alimentar neuroses alheias. Não vou, de jeito nenhum, esperar ficar gagá (não Gaga), para aprender a descartar este tipo de gente.

    Sabe, Su, esta gente não é boba, elas ‘se fazem’, nasceram atormentadas, mas também têm o seu lado safado. Acabam com a paz dos outros e eu não tenho piedade. Quem sabe tratar com louco é psiquiatra. E vejo que eles não dão ‘moleza’: pegam firme.
    Chega um ponto de nossa vida que temos de decidir: ou nós ou os loucos, pois o mundo tá povoadinho deles.

    E lhe digo, amiga, não sinto culpa nenhuma por me distanciar e deixar que eles façam seu ‘hospiciozinho’ longe.
    Ótima abordagem sobre a loucura, a má fé, a safadeza e a doença – não resta dúvida. E você abordou com muita graça, como é seu feitio. E esta sua amiguinha, se você não der jeito, espere... Ela dará!

    Grande beijo, falamos...
    Tais luso

    ResponderExcluir
  6. Eu hein. De gente louka assim, eu tô fora. Acho que amizades verdadeiras implicam transparência. Por isso sou uma pessoa de muitas afinidades. Mas Amigos, assim BFF (best friend forever), como os adolescentes andam dizendo, são pouquíssimos. Até porque é necessário essa paz de espírito para manter esse tipo de amizade. Não sou dada a cobrar nada dos meus amigos e tenho melhores relações com gente desencanada.

    Amei o texto, Su. Muito gostoso de ler. Imagino a "reeeeiva" que você devia estar sentindo.

    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Pois é amiga, fico preocupada com esse tipo de gente, tenho várias delas ao meu redor,
    algumas tem mesmo distúrbio bipolar, outras é senvergonhice mesmo,
    não há muito o que fazer, quer quer ajuda procura ajuda,
    em caso de doença é preciso ter paciência, um dia poderá ser nós na mesma condição,
    fora isso, o distanciamento é melhor coisa que fazemos para o nosso bem,

    beijos,

    ResponderExcluir
  8. Muito divertido e verdadeiro.
    Saber conviver com todo tipo de gente deveria ser uma arte.

    ResponderExcluir
  9. Que loukura, amiga! Tô contigo! Não dá pra aguentar esses pitis!
    Adorei a tua crônica! Quem não tem uma amiga dessas???? rsrsrsrs
    Beijinhos e bom domingo!

    ResponderExcluir
  10. gostei viu! rs
    a amizade verdadeira não tem disso, tudo se explica sem precisar de cobranças.
    beijo!

    ResponderExcluir
  11. Sabe de uma coisa? está cheio de gente assim por aí, mas eu acho que essas pessoas precisam aprender muitas coisas antes de poderem ganhar o título de "amiga"... né, não? Elas não são amigas nem de si próprias. São , realmente, insuportáveis! Fuja delas, amiga! Seu blog está bom demais, preciso voltar com mais tempo para ler tudo! Beijo grande!

    ResponderExcluir
  12. Oi, Sueli.

    Passei por isto recentemente, loukas e loukos sempre terá um, parece pedra no caminho que você topa solta um palavrão e segue, gente louka estaciona o melhor é que nós seguimos e os que perdem a noção ficam lá atrás. Tenho uma amiga louka mas gente boa não é de encher ou querer muita atenção, só é lenta rsrsrsrs.
    Adorei toda irreverência do post.
    Como diz uma LOUKA adorooooooooooo!

    Beijo

    ResponderExcluir
  13. Sueli...
    Tenho uns amigos "loukos" com "k" também... Amigos do tipo camaleão... Uma hora de um jeito, outra hora doutro... rsrsrsr Agem, se comportam e dizem coisas dependendo da fase da lua, se faz frio ou está quente, se faz sol ou chuva, se dormiram bem ou tiveram insônia... Nunca se sabe como irão reagir e precisamos sempre medir as palavras; ou tentar entendê-los...
    Podiam ser menos chatos, menos complexos; mas não ouvem quando damos os toques e continuam "loukos"...
    Fazer o que então?
    Normalmente eu já evito um pouco esse tipo de gente. Mas não adianta, eles sempre acabam cruzando o caminho.
    Mas tu tens toda razão do mundo. No fundo , no fundo, bem que o melhor seria abrir a boca e mandar catar coquinho... rsrsrsr
    Um bom final de semana!!!!

    ResponderExcluir
  14. ah... ia até esquecendo... está cheio de "amigo" que lembra direitinho a data do aniversário... e que aparecem só na data do aniversário, meio que na obrigação, completo piloto automático...
    Mas amigo, amigo mesmo não precisa de data... É amigo todo tempo, o ano todo... E nos deixa ver e sentir a amizade verdadeira nos mínimos gestos.

    ResponderExcluir
  15. Oi Suuuu... Vc é demais mesmo, é isso mesmo que cada um aguente sua doidura pra lá..kakakaka... Muito bom seu texto... adorei! bjos,

    ResponderExcluir
  16. Sueli, de onde vc conhece minha esposa ? Estiveste aqui por Florianópolis ?

    S E N S A C I O N A L.

    ResponderExcluir

Sejam bem vindos! Sintam-se a vontade. Comentem, digam o que pensam. Podem rodar a baiana, só não cutuquem a onça com vara curta, ok?... rs