“O sonho encheu a noite. Extravasou pro meu dia. Encheu minha vida e é dele que eu vou viver. Porque sonho não morre” (Adélia Prado)

8 de mai de 2013

Verbo de Sertanejo




A lua cresce
A chuva míngua
O verde foge
O mato seca

A enxada espera...

A chuva some
A terra racha
O gado deita
A vida para

Maria reza

A noite estanca
O sol arde
O céu azula
A viola cala

Maria chora

A lua míngua
O gado cala
O medo cresce
A esperança some
A lágrima seca
A ferida azula
O estômago arde
A criança deita
Maria estanca
A viola chora

Assim é o verbo do sertanejo:
Conjugado no tempo
Que não tem tempo
De ser futuro.

Só o presente
Ausente
No tempo
De esperar
Bom tempo.

-Sueli Gallacci