“O sonho encheu a noite. Extravasou pro meu dia. Encheu minha vida e é dele que eu vou viver. Porque sonho não morre” (Adélia Prado)

18 de jun de 2014

Sobre o xingamento da Dilma - minha opnião




Faz quase meio ano que não postava nada nesse blog. Meus amigos mais chegados sabem que nunca foi minha intenção abandonar definitivamente a blogosfera. As coisas foram acontecendo por acaso. Aproveitei minha falta de tempo para dar um tempo enquanto decidia se ainda valia a pena continuar blogando... Mas, não foi para falar do meu afastamento que volto hoje excepcionalmente a escrever no blog. A polêmica no Facebook em torno do xingamento da presidente Dilma me trouxe de volta para um desabafo.

Antes de tudo, esclareço que sou inteiramente responsável por tudo que digo e escrevo, assumo e assino sem medo. É por esse motivo que decidi desabafar aqui e não diretamente no Facebook: não quis correr o risco de alguns amigos, que me são tão queridos, interpretar como indireta a eles. O Facebook tem disso: vc quer matar  um  coelho só e acaba matando uma centena. E pra piorar, têm os cricas de plantão, gente que não tem talento nem para ser chata...  

Eu de fato fico admirada com o comportamento hipócrita de algumas pessoas no Fecebook. Voltando um pouco no tempo, quando o Lula foi diagnosticado com câncer, as mesmas pessoas que pouco antes o criticavam com duras palavras, postaram mensagens esfuziantes de solidariedade, pesar, pronto restabelecimento, etc... Só faltaram mesmo perguntar o horário de visitas do hospital. Ok, eu também acho que uma doença grave é motivo de lamento, seja quem for o doente, até o safado do Lula. Minha única manifestação, porém, foi postar que não desejava a sua morte, ao contrario, queria ele bem vivo! Só assim, não morreria junto com ele a minha esperança de vê-lo julgado e condenado a devolver toda a nossa grana.  Também lamentei o fato de ele não estar sendo tratado pelo SUS, pois acredito que a pessoa só se torna empática quando se vê no lugar da outra e sente suas dores.

Imediatamente às minhas postagens choveram críticas (no formatozinho ‘indireta’, como é o costume por lá), demonstrando uma indignação exagerada, falsa... Todos sabem que o Facebook é um palco teatral onde todos têm a infinita facilidade de interpretar o que no fundo desejam ser: solidários, educados, politicamente corretos, boas almas, espíritos evoluídos e etc, etc, etc... Exemplos de seres humanos perfeitos habitando o ‘mundo do faz de conta’. Nem todos, naturalmente, não generalizo nunca! Que fique claro.

O mesmo aconteceu agora com o episódio do xingamento da Dilma. Grifo aqui contundentemente que não me refiro aos amigos que se manifestaram contra por achar demasiado ofensivo a pessoa de uma chefa de estado. De fato foi. Acho até que não há registro na história de episódio parecido. Foi a maior vergonha de todos os tempos. Refiro-me aos que se compadeceram a um nível surreal, e se derreteram de tanta peninha dela. É a esses que dirijo esse texto: os que ficaram alfinetando nos comentários quem  disse que gostou de vê-la xingada.

Eu gostei e muito de ver alguns brasileiros lavando a alma naquele desabafo! Até dei umas boas risadas, qual o problema?... Por acaso isso é mais grave do que ver gente morrendo a granel, seja pela violência, ou por falta de atendimento médico?... Por acaso é mais grave do que ver a Dilma CALADA diante de fatos como o do Ministro Joaquim Barbosa sendo (também) xingado de tudo quanto é nome, ameaçado de morte e sendo açoitado feito escravo?

Ficou uma coisa assim, tipo agora existem 2 Dilmas: uma antes e outra depois do xingamento. Como se ela, de repente, passasse de demônio a anjo. Ela não se tornou uma pessoa melhor depois do xingamento, não houve tempo hábil pra isso. Assim como a doença do Lula não transformou-o, milagrosamente, numa pessoa mais digna. Nem se ele tivesse morrido eu mudaria uma vírgula do que penso sobre ele! A nossa ‘querida’ presidentonA continua a mesma: ‘pau mandado do Lula’, incompetente, corrupta, mentirosa, que se faz de insossa quando lhe convém! Vai continuar com sua gestão desastrosa, comprando votos dando esmolas com dinheiro alheio, roubando de quem produz para dar a vagabundos. Vai levar até o fim a brincadeira do “Meu Mestre Mandou”, e quem continuará tomando naquele lugar é o povo infantilizado que levou pito por ter falado um palavrão.

Quero também mandar um recado aos educadinhos de fina estirpe que se horrorizaram com o palavrão que “envergonhou as famílias presentes”. Há muito que eu mudei meu conceito do que é palavrão – uma palavra inventada e adicionada ao nosso idioma, cujo significado, vai mudando e 'enfraquecendo' com o tempo. E se eles tivessem gritado “Hei, Dilma, vc é corrupta”, aí podia? Os fatos provam que essa afirmação é verdadeira, portanto, não seria xingamento?... Diante de tudo isso, chego a conclusão que palavrões mesmo são: Corrupção, Deslealdade, Desonestidade, Mentira, Hipocrisia, Roubalheira, Falcatrua, Egoísmo, Desumanidade... a lista é imensa!

Não pense quem a defendeu que ficará livre da pomadinha naquele lugar. Pode correr à farmácia e comprar tubos e tubos, pois nós, os “gente-bonita das elites”, conforme fomos classificados pelo ‘cavalheiro’ que defendeu a ‘dama’, só temos poder mesmo para xingá-la, e não tirá-la do poder. Somos minoria comparados aos “moreninhos-feios” que não xingaram a (in)digníssima. Esses últimos não estavam no estádio, eles não têm grana pra pagar o alto preço dos  ingressos.  Eu fico por aqui torcendo com todas as minhas forças que este tenha sido o único motivo de não terem participado do coro!     

Vai precisar muito mais do que um “Hei, Dilma, vai tomar no cu” para começarmos a ter esperança. É preciso ela fora, e toda a quadrilha do PT!

O xingamento pode não ser justificável, mas é explicável cientificamente: Ação e Reação.